terça-feira, 4 de maio de 2021

Dia Mundial da Língua Portuguesa - 5.maio.2021

EU CONTO

A Biblioteca Escolar, em articulação com o Grupo de Português, com o VerdEmCena, a Oficina de Leituras em Voz Alta e com o projeto da Artista Residente, Teresa Chaves, dinamizou na ESVV a  Iniciativa EU CONTO, uma atividade promovida pelo Plano Nacional de Leitura, que desafiou os alunos à criação de um podcast de narração oral (lendas e contos tradicionais), no âmbito da comemoração do Dia Mundial da Língua Portuguesa.
Alguns dos podcasts estão já divulgados na página do PNL, em:

Outros se seguirão.






















 

domingo, 2 de maio de 2021

Internet Challenge'21 Edição Nacional para o Secundário

A equipa Raven Puff da ESVVconstituída pelos alunos Jorge Araújo e Miriam Rodrigues, 12.º I, foi uma das apuradas para a Fase Final do torneio realizado na Biblioteca Escolar.



 A fase final do torneio realizou-se em linha e as provas, em forma de quiz, foram disputadas através da plataforma Kahoot!, em modo live. A equipa Raven Puff resistiu até ao segundo "round", num total de três, tendo conquistado um 13.º lugar, entre 41 equipas concorrentes.



Em suma, foi uma experiência extremamente divertida, didática e desafiadora.
Para o ano, há nova edição.
Vale a pena participar!

Tomás Sopas Bandeira na ESVV

27 de abril 2021 

Ainda no âmbito da comemoração do Dia Mundial do Livro.

Os alunos das turmas 1.º O, 10.º C e 12.º I tiveram a oportunidade de contactar com o autor de Zahra, obra selecionada para a Fase Interconcelhia do Concurso Nacional de Leitura 21. Puderam ainda inteirar-se da vasta experiência do médico bracarense como ativista dos direitos humanos, especialmente dedicado à causa do povo Saharaui, entre outras. 

Eis alguns testemunhos de quem esteve presente:

Brenda Lucas
Se não exagero nas palavras, foi uma honra ter contactado com o escritor de um livro tão sensível como  Zahra e fiquei imensamente feliz por ter participado. Com certeza absoluta que essa tarde ficou gravada na memória, saí daquele auditório levando algo a mais do que quando entrei. Muitíssimo obrigada!

Leonilde Pereira 
Foi um encontro marcante e gratificante. Acredito que o testemunho de Tomás Sopas Bandeira vai semear nestes jovens a planta da coragem e da esperançaZahra é uma viagem num mundo esquecido de vidas que procuram não se deixar abalroar pelo suceder mecânico dos dias, dos meses, dos anos... Um grito doloroso de quem espera com perseverança a boa nova... E se um povo inteiro acredita, temos de acreditar com eles, é responsabilidade nossa não silenciar e alimentar esta esperança única e avassaladora. Tomás Sopas Bandeira, obrigada por nos mostrar que o nosso conhecimento é a melhor arma para desbravar os terrenos agrestes e fazer algo pelo outro... Dar de nós aos outros é a missão de cada um... de todos nós... o conhecimento guardado numa gaveta de nada nos serve, mas se o colocarmos ao serviço do outro ele pode fazer realmente acontecer... Estou muito grata pela viagem que proporcionou a cada um de nós, principalmente a estes jovens que eu acredito terem muito para dar, eles são de verdade o nosso futuro e acredito muito neles e naquilo que serão capazes de fazer pelos outros, não há terreno mais fértil do que o deles... Obrigada por semear neles a força, a vontade de cuidar e de entregar o que conhecemos para ajudar...


Fátima Guedes

O Tomás (Sopas Bandeira) trouxe à escola e a mim em particular, ontem, um oásis de reflexão, num momento em que tudo gira à volta de nós mesmos, para mim , num deserto infinito de areia: a pandemia, o sucesso profissional/a competitividade, o confinamento ,...e informação avassaladora, sem critérios
O meu silêncio ( não lhe fiz perguntas) e o da minha turma refletiu a interiorização do que partilhou connosco, que não requeria palavras/ruídos, mas silêncio.

 O Tomás disse o que tinha a dizer, nós ouvimos e acredite, Tomás, que não é tarefa fácil pôr os outros a ouvirem-nos , porque as pessoas habituaram-se a ouvir-se a si próprias e esquecem-se de ouvir o outro. Através da sua voz, faz-nos ouvir aqueles outros que o mundo confinou /confina, sem lhes dar a palavra. 

domingo, 25 de abril de 2021

25 de Abril de 1974

25 de Abril, Sempre - Recriação de um episódio histórico no âmbito das comemorações do 25 de Abril de 1974

26 de abril, a partir das 10:00h - a turma do 12.º I do Línguas e Humanidades e alunos do Clube de Teatro recriam, sob orientação do Clube VerdEmCena e da Artista Residente, Teresa Chaves, o confronto entre as forças fiéis ao regime (Regimento de Cavalaria 7, comandado por Junqueira Reis) e as forças revolucionárias da Escola de Cavalaria de Santarém, comandadas por Salgueiro Maia.

Alguns momentos da recriação:





 

DIA MUNDIAL DO LIVRO


Neste Dia Mundial do Livro (que na ESVV se estende de 23 a 27 de abril), o desafio da BE é:
Que livros foram mesmo, mesmomesmo escritos para ti?
Quem sabe se não ficarás inspirada (o) ao ...

Espreitar pelo buraco da fechadura das casas dos professores, quem não pensa nisso de vez em quando?

Nós espreitámos para as estantes de alguns professores e descobrimos os livros mais folheados, mais manuseados, mais amados e até.. mais detestados.

Abel Martins, professor de Economia, apaixonou-se por Os Maias… ou pela professora de Português? Chiuuu. O livro de cabeceira da – justamente – professora de Português Ana Cristina Oliveira, que também há de ter dado a volta à cabeça a muitos alunos, é As Bacantes. Embora talvez nem todos dormissem com O Exorcista na mesa de cabeceira, como Ana Paula Guerra, professora de Educação Especial, que o considera um bom livro para « perder quinze noites de sono…». Nas noites alentejanas, o futuro professor de Educação Física Carlos Mangas imitava o seu herói, o Major Alvega, a ser «implacável na luta com inimigos no ar», dedicando-se a abater moscas «como ele fazia aos aviões inimigos.» Aquiles Loureiro, agora um circunspecto professor de Geografia, surpreende-nos com um impropério («Com mil milhões de macacos!”) quando se refere, também, à banda desenhada (esta franco-belga).

E quem havia de dizer que Gracinda Castanheira escolheria A mulher na sala e na cozinha, «um manual de conselhos para ser uma boa dona de casa, cozinheira e administradora dos proventos domésticos»? Claro que a nossa progressista professora de História só fala do livro para lhe chamar «fóssil» (embora, verdade seja dita, lhe tenha chamado a atenção a receita do bolo de Torres Novas da página 223). De fósseis tratará talvez o livro escolhido pelo professor de Físico-Química Emanuel Ferreira, Com Darwin na América do sul, que com ele viajou e «com ele começou o bichinho da ciência». E não se estranha que a professora de Matemática Isabel Leite tenha escolhido um protagonista, Christopher Boone, que adora Matemática e «resoluções elegantes de conhecidos problemas matemáticos» (O estranho caso do cão morto).

O livro favorito do professor de Português Custódio Braga, aquele que, curiosa afirmação, o ejetou «para as alturas da grande literatura universal» por via da sua «lascívia adolescente», é Madame Bovary. Também adolescente, Orlanda Gonçalves foi sensível a uma descrição de um episódio amoroso de Papillon, revelando a sua propensão para… a Química. Mais austera, a sua colega de grupo Fátima Gama destaca Os bebés de Auschwitz, enquanto Graça Peixoto, respeitável professora de Português, foi “intimidada” no colégio por ler Os Miseráveis, título por si só suspeito no Portugal de antes de Abril de 1974.

Voltemos à professora de Matemática Isabel Leite, que afirma «Já li muitos livros, alguns bons, outros assim-assim e outros que, definitivamente, não foram escritos para mim.»

E agora queremos nós bisbilhotar: Que livros foram mesmo, mesmo, mesmo escritos para ti?

 

                                                                        Isabel Maria Correia

                                                                       (Equipa Biblioteca Escolar ESVV)



 

CNL - Fase Intermunicipal

 


Decorreu, no dia 22 de abril, a Prova Oral da Fase Intermunicipal do Concurso Nacional de Leitura (CNL).

Foram apurados para a fase Final do CNL os dois concorrentes mais pontuados de cada ciclo de ensino.

No que diz respeito à ESVV, passaram à fase FINAL NACIONAL os alunos:

Maira Fortunato, 9.º C, e Jorge Araújo, 12.º I.

Parabéns!

Estamos orgulhosos pela vossa prestação.

Próxima etapa:

19 de maio - Prova escrita de pré-seleção online.

Final Nacional - Oeiras, no dia 5 de junho!


sábado, 10 de abril de 2021

Exposição de Pintura na Biblioteca Municipal Prof. Machado Vilela - 10 abril | 15:00h

Foi bonita a festa...









 
Pintar com Poesia - Sílvia Mota Lopes


A ESVV, através do Clube de Teatro VerdEmCena, da Artista Residente, Teresa Chaves, e da Biblioteca Escolar - associa-se à inauguração da exposição, com uma apresentação denominada  Dizer Poesiaem que são protagonistas os alunos:

Beatriz Matos, 10.º F

Brenda Lucas, 10.º C

Catarina Fernandes, 11.º D 

Eva Serafim, 11.º D 

Jorge Araújo, 12.º I